Navegação

GP DA AUSTRÁLIA DE F1 É CANCELADO POR CONTA DA CRISE DO CORONAVÍRUS

(Foto: Zak Mauger/LAT Images/Pirelli)

Apenas duas horas antes do início dos treinos livres, a F1 anunciou o cancelamento do GP da Austrália por conta da crise do coronavírus. A decisão aconteceu depois de muita pressão das equipes e um dia depois da McLaren divulgar que não participaria da corrida deste final pelo fato de um de seus integrantes ter sido diagnosticado com coronavírus.

A decisão veio após muita discussão entre equipes, dirigentes da FIA e F1, organizadores do evento e autoridades locais. Promotores pareciam seguir com a programação normal e o governo do estado da Vitória, onde fica Melbourne, chegou a emitir um comunicado que a corrida aconteceria sem a presença de público.

Depois da McLaren, ainda na quinta-feira no horário australiano, a Mercedes veio a público na manhã de sexta local com um comunicado em que pedia à FIA o cancelamento.

“Por conta de uma força maior, eventos como o que estamos presenciando na pandemia do Coronavírus, não nos sentimos mais que a segurança de nossos funcionários possa ser garantida se continuarmos a participar do evento”.

Comunicou o time alemão, avisando ainda que a equipe já iria iniciar o processo de desmonte dos equipamentos nos boxes de Albert Park para ir embora.

Somente após este novo momento, a F1, FIA e a Corporação do GP da Austrália (promotora do evento) resolveram pelo cancelamento definitivo. “A discussão chegou ao fim com a visão da maioria das equipes de que a corrida não deveria seguir. F1 e a FIA, com total apoio da Corporação do GP da Austrália (AGPC) decidiram então que todas as atividades da F1 estão canceladas”, explicou a F1, em comunicado oficial.

A segunda etapa do campeonato, no Bahrein, está marcada para a próxima semana, no dia 22/03. Por enquanto, a única ação foi a de realizar o Evento sem a presença de Público, porém, novas medidas ainda podem ser tomadas.

Cenário de incertezas

Durante o dia de Mídia, tradicionalmente às quintas-feiras nos circuitos que recebem a F1 em que pilotos e equipes concedem entrevistas, os jornalistas de imprensa escrita tiveram que ficar pelo menos a dois metros dos pilotos e as entrevistas de TV foram cancelas. A própria produção da categoria realizou filmagens de distribuiu para as emissoras. Tudo para evitar aglomeração e contato de pessoas com os competidores.

Um dia antes, na quarta-feira, a Organização Mundial de Saúde (OMS), mostrava o quão séria era a crise ao caracterizar o cenário do coronavírus como uma pandemia, por se tratar de uma disseminação mundial. A última vez que isso tinha acontecido foi em 2009, na crise da influenza H1N1.

Em termos médicos, a classificação não muda muito a visão sobre o coronavírus, porém, pode afetar algumas relações, como as pessoas que estão em viagem (incluindo profissional, como equipes e jornalistas da F1), pois países devem passar a restringir ainda mais as entradas e saídas por suas fronteiras.

Mesmo assim, a programação da F1 em Melbourne parecia seguir normal. Só que após a desistência da McLaren e a explosão de notícias do mundo todo sobre cancelamentos de eventos esportivos ou não, e novas medidas de governos, a categoria ficou sem alternativa.
Coronavírus em outras categorias

A situação acontece enquanto diversas outras ligas, esportes e campeonatos de automobilismo anunciam cancelamentos de eventos por todo o mundo, além de feiras, encontros e fóruns de diferentes áreas da economia mundial também sofrem com mudanças de datas. O medo é de que aglomerações e grandes públicos possam acelerar a disseminação do coronavírus.

No esporte a motor, entre as competições Internacionais, a Fórmula E (Sanya, Roma e Jacarta) e MotoGP (Losail, Austin e Argentina) cancelaram ou adiaram três etapas cada, enquanto IMSA adiou as 12 Horas de Sebring e o WEC cancelou sua etapa no circuito da Flórida, as 1.000 Milhas de Sebring.

A Indy anunciou nesta sexta-feira que a abertura de sua temporada, marcada também para este Final de Semana, em São Petersburgo, na Flórida, irá acontecer sem a presença de Público. A Nascar seguiu com a mesma abordagem para suas duas próximas provas, em Atlanta e Miami.

A Stock Car Brasileiro também resolveu tomar uma medida e anunciou que apesar de manter a Corrida de Duplas, primeira etapa de seu campeonato 2020, no próximo dia 29/03, em Goiânia, irá proibir a participação de pilotos estrangeiros. Antônio Felix da Costa, Filipe Albuquerque e Laurens Vanthoor eram alguns nomes confirmados.
Compart.

MARIO PINHO

Comente no post:

0 comentários:

Adicione seu comentário sobre a notícia